Saindo do automático

sacola roupas

No meu terceiro ano tive uma professora de sociologia e filosofia que tinha uns parafusos a menos (e qual professor de humanas não é assim, né?), ela vivia repetindo que a gente deveria parar de fazer as coisas no automático. Acho que em toda aula ela repetia isso. Falava também sobre coisas que já tinham virado tradição nas nossas vidas e ninguém sabia como aquilo tinha começado ou de onde tinha surgido.

Admito que isso foi uma das poucas coisas que ficaram guardadas na minha memoria pois nunca fui muito fã de humanas (e nem de exatas), mas esses dias me peguei pensando em como isso se aplica na moda. Deixei de lado esse pensamento e, como num passe de mágica, alguns dias depois descobri o blog Repete Roupa da Melody através da Fernanda (@soshopaholic) e fiquei abismadíssima com um dos últimos posts que ela escreveu contando os motivos que a levaram a não adotar um armário cápsula.

“eu tenho usado as hashtags relacionadas ao armário cápsula ultimamente no instagram porque percebo a tendência (o que me faz pensar também sobre como tudo tem que ser tendência, ninguém faz ou todo mundo faz, acho isso uma loucura: acho toda a movimentação pelo viver simples e pelo consumo mais consciente maravilhosa, mas porque na moda isso tem que vir no mesmo formato de 30 e tantas peças repetidas por 3 meses e aí todo mundo faz igual como se não houvessem outros jeitos de discutir versatilidade do guarda-roupa, criatividade ao se vestir, menos consumo, etc) e quero atrair cada vez mais gente, claro. mas a verdade é que minha proposta tá bem longe de ser um armário cápsula, em muitos sentidos. mas em alguns, como a repetição criativa, a maior consciência sobre as roupas que possuímos e como usá-las, o conhecer seu armário, eu chego perto do conceito. perto, mas não totalmente.”

Para ler o post dela completo, é só clicar aqui!

O que mais tenho lido ultimamente são pessoas decepcionadas que não possuem dinheiro para começar um armário cápsula… COMASSIM GENTE? A ideia central é você repensar o seu modo de comprar e você quer simplesmente jogar tudo o que tem fora e comprar 37 peças novinhas? Nananinanão!

Vamos sair do automático gente!! Antes de querer começar algo que todos estão fazendo, vamos procurar mais sobre o que se trata? Vamos estudar um pouco mais a fundo para não se prejudicar e prejudicar o meio onde vivemos. Se você deseja começar um armário cápsula, indico o blog da Gabi Barbosa que pode te ajudar bastante. Além disso também existem vários grupos no facebook para tirar duvidas e compartilhar experiências!

Não lembro ao certo porque comecei a escrever esse post, mas ao reler as 450 palavras que escrevi percebi uma coisa:

Não dá pra se basear na experiência de outras pessoas se a gente não tentar. A Melody não conseguiu se adaptar a ideia do armário cápsula e eu também não (mas isso é papo pra outro post), já a Gabi conseguiu e se dá super bem. Então se você deseja tentar, tente! Se não, seja feliz do mesmo jeito! Só não vale continuar comprando e comprando peças que nem sequer perderam as etiquetas, viu? hahahah

Anúncios

2 comentários sobre “Saindo do automático

  1. amay seu texto! obrigada por me ler; me sinto honrada de ter te inspirado a escrever esse post! quanto ao armário cápsula, acho que as ideias principais – o repetir roupas e o ter menos coisas – são ótimas, mas acho uma pena que o negócio tenha se desvirtuado e virado mote pra gastar dinheiro e comprar mais roupa. nunca tinha ouvido/lido ninguém dizer que não tinha grana pra começar o armário cápsula mas só de imaginar alguém pensando isso fico chocada. da onde as pessoas tiraram que precisa de dinheiro pra fazer armário cápsula? por que tudo vira motivo pra gente consumir mais? tá errado isso aê!

    sobre a sua professora: também sou da área de humanas e vivo me questionando e questionando os outros por todas essas coisas que a gente faz no automático. no meu outro blog tenho alguns textos sobre isso, sobre a gente aceitar tudo que nos oferecem como maneira de viver sem se perguntar “mas por que é assim? se eu não fizer assim vai acontecer o quê?”. acho que a questão da moda sustentável, do se questionar os comportamentos sociais automáticos, tudo isso se relaciona a outros movimentos atuais, até mesmo o feminismo: essa terceira onde feminista veio muito do questionamento “mas por que eu tenho que aceitar isso?” “por que tudo bem falar tal e tal coisa?” “por que eu considero normal ser assediada na rua?” “o que vai acontecer se eu parar de considerar isso normal?”. enfim, dei o exemplo do feminismo atual porque é algo próximo a mim, mas sinto que todas as lutas atuais partem de questionamentos como esses, que são muito simplesmente isso que vc falou: parar de fazer e aceitar as coisas no automático.

    nossa falei d+, dscp

    Curtido por 1 pessoa

    • Nossa eu to muuito feliz de ter você por aqui, Mel! O seu desafio me inspirou tanto que eu precisava escrever um pouquinho hahahah realmente você tem razão e, hoje em dia, vemos tantas pessoas “sujando” os movimentos atuais por não saberem do que se trata de verdade né? Tudo no automatico 😦 Volte sempre viu? Você é muito bem vinda!!

      Curtir

O que achou desse post?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s